domingo, 9 de setembro de 2007

Não sabemos nada



Um amigo que trabalha em Angola enviou-me estas fotos.
Este é o local onde dormem alguns missionários.
Há centenas de bichos que estão ali e ouvem-se as patas deles por todo o lado.
Debatem-se com a malária e febre tifóide.
Para fazerem 40km até aquela aldeia andam 12 horas num jipe no pior caminho de cabras cheio de pedras, atravessam rios ...
São pessoas com muita coragem que deixam as suas vidas e trabalham ali para ajudar os outros.
E nós, não sabemos nada.



1 comentário:

Joao disse...

Pois é, conheci os três missionários porque moravam na mesma rua que eu numa cidade no litoral sul de Angola, quando os conheci o Padre David estava a recuperar de uma recaída de paludismo (malária) bem grave, que o deixou em muito mau estado, o Sr. Rui também estava com paludismo, e a Vera estava a cuidar deles até ter apanhado febre tifóide na missão. Parece estranho tanta gente doente, mas naquela parte do mudo é a coisa mais banal, mesmo sabendo que são doenças curáveis, ali, matam aos milhares por dia, porque ali não há NADA. Felizmente os missinários obtiveram os medicamentos necessários e uma semana mais tarde retomaram o seu trabalho deslocando-se à missão que é uma parcela de terreno com algumas centenas de milhares de hectares, de selva, montanhas gigantes e rios onde existem cerca de 70 aldeias isoladas perdidas na selva sem medicamentos, transportes, etc... Os missionários deslocam-se a cada uma dessas aldeias regularmente levando medicamentos, alimentos, e ajudando os habitantes ensinando-os a cultivar a terra, a montar sistemas de captação e transporte de água etc...Percebi o esforço incrível que estes missionários faziam para ajudar os outros, só para ajudar os outros, viver naquelas condições dificílimas, dormir no mato debaixo de tempestades terríveis, em kubatas cheias de lagartos, expostos a malária, febre tifóide, serpentes, minas etc...sem qualquer tipo de comodidade, absolutamente NENHUM, só a ajudar os outros. Fiquei muito impressionado, foi um choque para mim, pensei eu não sei nada, há tanta gente na europa que não sabe nada. Onjoyetu!! Estamos juntos