terça-feira, 9 de outubro de 2007

O vómito

- Eh pá, tu achas que és bué da cool, não é?
E achas que és muita giro e a pessoa mais interessante do planeta?
Não sei o que se passa contigo e com alguns espécimes do sexo masculino que andam por aí. Mas cá para mim, tomaram todos uns comprimidos de exaltação do ego e com umas doses extra de pedantismo.
E que tal, se em vez disso, bebessem um leitinho com chocolate?

19 comentários:

Divingdeep disse...

Mas que viragem, o cheiro e a seguir o vómito? Estamos numa de enterrar?

Quem? Quem serve?

Há umas para o lado, outras para o fundo.

Será que a próxima é o vazio?

Espero que não!


Aprecio mais o silêncio num entendimento, empatia, sem nunca estar tudo dito, mas não haver necessidade de criar mais estar.

Basta o silêncio de estar bem.

Partilhar dois é divino.

Começar a falar ao mesmo tempo e dizer a mesma coisa, tabém acontece: empatia e união, mesmo para a que vai acontecer no futuro.

As pessoas descobrem-se ou desnudam-se e aí precisam do leitinho com chocolate (voltando à vaca fria).

Na falta de chá, claro.

Prefiro a do cheiro, que não tem toque.

Toca de outra maneira e envolve (Há outra do tema por aí).

Divingdeep disse...

Lembro-me do grito, que foi roubado, mas parece ter já aparecido.

Não será novidade... um grito não desaparece, fica.

Olhar para ele e ouvi-lo, já não fica.

Não me lembro de quem é o quadro ou se é pública a sua identidade, mas preferia em alternativa equivalente na força, um berro de felicidade.

Opções.

Edvard Munch disse...

Engraçado, estes dois comentarios, que, como diz o outro, falam falam e não dizem nada, vai ao exacto encontro do que o post tenta transmitir!

Divingdeep disse...

Edyard,

You dont' add much.

Dont' cry, it happens.

Have a glass of milk.

Edvard Munch disse...

Se eu quisesse agora dar-te uma resposta no tom, ou semelhante ao estilo que tens empregado, e começar aqui uma discussão digna da pré primária e aí sim dos leitinhos todos, poderia dizer-te que, apesar de teres escrito em Inglês(!), tão somente disseste aquilo que eu já te tinha dito, bem como o que o prórpio post que deu o mote a tudo isto já disse igualmente, demonstrando com isso que nem uma ideia original, ou pelo menos pensar por ti, consegues. Mas penso que não vale sequer a pena, vou apenas dizer-te que se escreve Edvard...

Divingdeep disse...

+ milhas
Add (ed) yard
passajeiro frequente?
e com tantas na pré-primária,
estás aquém (bué de milhas); cheiro isso (nem te lembras).
Sabes? és a imagem do primeiro comentário, desde o início, se não percebes, podes perguntar, senão reconsidera. "não dizem nada"=>!bom para ti!
KISS; ou também tenho que explicar esta?

Divingdeep disse...

Tendergirl

Sorry, So sorry

Não é suposto

Mas manco é manco.

Munique tém bué de coisas giras, apesar de serem xnofamos... alguns (muitos)

Edvard Munch disse...

Eu também podia, se quisesse, se fosse essa a minha forma de estar de ser, de pensar, de julgar, que tudo o que digo, faço, e escrevo, é genial, profundo, e, acima de tudo, correcto. Podia, de igual forma, fazer trocadilhos que julgo serem inteligentes e possivelmente com piada, e continuar, da mesma forma, a pensar que continuo correcto em tudo, que todos me entendem, sem conceber qualquer outra hipotese.
Mas o que é um facto, independentemente de tudo, é que se escreve Edvard
Tudo o resto não são mais do que assunções, subjectivas e passiveis, ou não, de discussão.

Para terminar, claro que não precisas de explicar o que é KISS. Toda a gente sabe que é aquela banda que canta I was made for lovin' you baby...

Tindergirl disse...

Acho que o divingdeep não entende bem o que eu escrevo. Tenho concluido isso pelos seus comentários :)

Por ex.
"Mas que viragem, o cheiro e a seguir o vómito? Estamos numa de enterrar?" - O post anterior que falava em cheiro era sobre a ida e estadia em casa de alguém muito próximo e que já não está cá. O vómito é completamente diferente pois era uma critica um pouco irónica a algumas pessoas do sexo masculino.
Não queria enterrar ninguém.

"Quem? Quem serve?" - Não é para servir a alguém. Acima de tudo isto é só para mim e para quem tiver paciencia de ler.

O resto do 1º comentário não entendo, nem o 2º e os restantes...

deepdiving disse...

Munch,

Já percebi, que se quizesses podias pintar o vómito.

Eu não conseguia pintar o grito, não somos parentes.

Mas podias, se quizeres, ajudar a Tindergirl a perceber alguma parte dos meus comentários.

http://eulaliagarcia.files.wordpress.com/2007/03/munch.png

Edvard Munch disse...

Embora eu não saiba o que é o vómito, ou a interpretação que dás ao mesmo, presumo no entanto, com alguma justificação, que lhe dês alguma conotação negativa, explica-me lá como é que percebeste que se eu quisesse pintaria o vómito, e onde é que não estás a ser pedante nem a usar da jactância quando afirmas tal despautério? Explica-me lá como é que não estás prosaicamente a exaltar o teu ego, quando afirmas categóricamente sem qualquer conhecimento de causa?

Noutro ambito, e embora te possas refugiar outra vez numa qualquer ambiguidade, escreve-se quisesse...

deepdiving disse...

Ed,

Pode ser assim? Ou vais novamente salientar que tem mais o vard?

Posso ser mais formal, se "quiseres", na recorrência evidenciada do termo e agradecendo a própria correcção: s versus z.

Há mais recorrências.

As conotações, o ponto de partida sempre negativo ou para o lado do snob, partes do que não queres entender para arranjar espaço, para? compensares sabe-se lá do quê.

Negativo, eu não sou; pedante, também não.

No conjunto dos teus comentários, com as ilações que contêm, parece haver uma falta de espelho teu, porque esses comentários ficaram muito aquém.

Sugiro que o espelho possa para efeitos de equilibrio diminuir o tamanho do umbigo.

O meu ego, devo-te dizer, está qb.

Vai acontecendo, de vez em quando, surgirem situações, conversas, que trazem o já feito e que já estava esquecido (curioso), no meio do que quero e estou a fazer.

Curioso é o facto de ontem ter chamado o 112, depois de um vómito. Isto sobre as interpretações.

Interpretações?

O vómito é real. Não sei da tua sensibilidade para lidares com a situação, mas se acontecer (espero que não), segura a fronte da pessoa.

Voltando ao pedantismo, podemos voltar ao tema, dependendo da qualidade do espelho e naturalmente do que este possa conseguir na atitude revelada.

Um ponto eventualmente positivo, não no conteúdo, agora you have add something.

By the way, do you know the one with the duck screaming?

Estou certo que sim.

Só em português? Têm bom preço?

Acho que vou ter de reler o Camões por causa da jactância, se não estiver num Corsair com um pequenino jetlegg.

Sê mais positivo, se quiseres

Anónimo disse...

gandas malucos é que eu vos digo. só apanho bonés :)

Tindergirl disse...

Obrigada pelo comentário objectivo :)
Mas já agora porque se diz "apanhar bonés"?
E escreve-se "espreguiçar" e não "esperguiçar"...

Anónimo disse...

apanhar bonés... 1) sentir-se desorientado, sem compreender o que se passa ou saber o que fazer; 2) estar inactivo, desempregado; 3) perder ao jogo, não ter dinheiro; 4) diz-se dos últimos classificados de uma prova, competição, etc.

Isto diz o Novo Dicionário de Expressões Idiomáticas :) Mas não explica a origem da coisa. Não sei.

Tindergirl disse...

Pois. Também há aquela "Chapéus há muitos, seu palerma" lol

deepdiving disse...

Ó anónimo,

Não percas tempo a procurar apanhar bonés, porque estes pressupõem a existência de cabeças.

É melhor ires para as corridas e tentares perceber o xadres da bandeira e de quem passa por ela.

E sabes porque é melhor?

Porque o vómito devia ser uma excepção e não é aqui!

Contando... na 17! Incrível!

Podemos ser mais positivos: A mensagem inicial é crítica e positiva.

EU disse...

a unica pessoa negativamente critica aqui, és tu, ó mergulho profundo. Não querer sequer entender isso, e ainda por cima colocar esse onus nas restantes pessoas, é de uma estupidez absurda e atroz. Não foste tu que tinhas dito que manco é manco? Porque é que não te mancas então?

deepdiving disse...

Vou ter que deixar de ir a Oeiras, onde manca o rio e vem o oceâneo.

For you Mr. Ed.

Para de relinchar.

Encontra ou tenta, ver a positiva.