terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Raiva de morte I

Merda para o amor que aparece, consome e depois acaba.
Porra para as ilusões criadas que nos fazem imaginar que ele existe.
Caraças para as histórias que contámos um ao outro.
E bolas para os gajos que vêm ao pé de mim e me impedem de escrever.

4 comentários:

antonio disse...

Merda, porra, caraças e bolas, bons termos para definir o amor de hoje...não ficar pelo que temos, a luta continua!

Tindergirl disse...

Há mais mas fiquei-me por esses:)

Carlos de Oliveira disse...

O amor que acaba é apenas a paixão, esse estado ilusório de que o que é bom pode durar para sempre.

Amar não é melhor nem pior, apenas diferente. No estado e no tempo ... e até no espaço. Apaixonados fazem-no até no escuro de uma viela. Enamorados já não.

Carla disse...

http://www.youtube.com/watch?v=a9kRUY4WLFI